sexta-feira, fevereiro 04, 2011

corpo, voracidade


     
hospedas à casa, em silêncio,
calmo à carga, aos olhos de
palavra – lanças-te a casa –
a forma e o véu, seda escadaria:
acorda, tudo renda e rendição –
aguardo o outro, nada devoto,
pulso, enquanto afio a lâmpada
do tempo.
      

2 comentários:

Andrea Liette disse...

por tanta lindeza
sinto náusea !

Phillipe Garcia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.