sexta-feira, setembro 11, 2009

“a spear of summer grass”


fumo contra a janela
luz deixada e aparecida
formando essas árvores
e ares e fontes
saúdam o orgulho
o sentido saindo de sol
e sons assim os olhos
remanescentes
a língua muda furta-cor
fuligem e folia fragrante
apenas a graça da fuga
deixada à tecla
da haste suspensa
pelo calor e convulsão
ás protegido do verde
contorcem-se em zelo
foices e face
a figura escura deitada
sobre a lâmina
de hálito da partida
infante
corada

3 comentários:

Fabi disse...

ai, lindo de doer. beijo

olimpia disse...

só você mesmo para me deixar com vontade de ler Walt Whitman...de certa forma este seu blog é uma linda continuação do ateliê da asa norte

Caos disse...

Muito bom!